Apresentação do Encontro Veja a programação do Encontro Conheça os artistas Confira as Rodas de Prosa Feira de Oportunidades Sustentáveis Oficinas ministradas durante o Encontro Mostra de Cinema Petrobras Diário de São Jorge Material para imprensa Ficha Técnica do Encontro Entre em contato
 

28/07/2007 22:19
Oficina de Brinquedos Populares
Arte criativa

por Arthur Porto, da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge

Não é tão comum, hoje, ver crianças brincando em espaços livres como antigamente. Vídeo games, computadores e televisões passaram a interferir nesse processo de aprendizagem indireta que desenvolve a criatividade e a imaginação. No VII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, a tradição das brincadeira populares foi revivida na oficina ministrada por Walter Cedro, do Ponto de Cultura  Invenção Brasileira (DF). Com a ajuda de Wagner Nascimento e Chiquinho Lopes, Walter coordenou a oficina de brincadeiras e brinquedos populares, com cerca de 50 crianças.

A oficina, realizada no espaço Petrobras de 21 a 29 de julho, surgiu com o propósito de fazer com que as crianças valorizassem esse tesouro histórico, transmitido de geração a geração. "Escolhi participar desse trabalho porque sempre fui fã do palhaço mestre Zezito, que infelizmente já faleceu. Acho importante mostrar algo que a maioria das crianças desconhece", explicou o coordenador.

As crianças ficavam atentas para aprender a transformar diversos materiais, como pedaços de madeira, barbante, fita crepe e copos de plástico em brinquedos. O processo de construção fez com que o faz-de-conta se transformasse em algo real e prazeroso.

Telefones sem-fio, óculos e bonecos foram os brinquedos produzidos pela interação dessas crianças, que com o tempo conseguiram entender o significado do trabalho desenvolvido. "Eu venho todos os dias. Já aprendi a gostar dessas novas brincadeiras. Acho que são mais divertidas", afirmou Jeovane Luiz Bailona, 11 anos, participante da oficina.

As matracas, instrumentos de percussão feitos com dois pedaços de madeira, e os chocalhos, feitos com copinhos de plástico ou cabaça, foram os mais comemorados. Ao final de cada dia as crianças saíam desfilando pelas ruas de São Jorge. 

A oficina tmabém contou com uma participação especial. O mestre mamulengueiro Zé de Vina, fundador do grupo Riso do Povo e criador de apresentações cheias de histórias improvisadas, ensinou a garotada a manipular marionetes com aulas musicais. "Achei ótimo ensinar para essas crianças um pouco de meu trabalho. Fiquei fascinado com tanta alegria e vontade dessas crianças de conhecer coisas novas", ressaltou o mestre.

Depois de muito ensaio, os participantes da oficina fizeam uma apresentação do bumba-meu-boi. Com fitas coloridas, personagens humanos, animais e fantásticos encenaram uma história que gira em torno da morte e ressurreição de um boi. A idéia foi mostrar que, independente da tecnologia encontrada no mundo atual, a emoçao de brincar com algo produzido com as próprias mãos ainda permanece.

enviar por e-mail | imprimir
topo da página | mais notícias

26/05/2009 - IX Encontro de Culturas
Vem aí o IX Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros

02/08/2008 - Encontro
Zambiapunga e Turma que Faz celebram o fim do VIII Encontro de Culturas Tradicionais

02/08/2008 - Arcoverde na Chapada
"É só tocar um pouco de Fogo que a explosão ocorre”

01/08/2008 - Entrevista
“Incelente Maravilha”

01/08/2008 - Show
Música caipira faz as honras da casa



Para encantar os olhos e preencher a alma


Programe agora sua viagem para São Jorge. Encontre as pousadas, campings e restaurantes da Vila.